Como Ser Mais Consistente? As Minhas 8 Dicas

setembro 3, 2018

Consistência é a palavra da atualidade.

Ela está atrelada ao sucesso. Seja do resultado de uma dieta ou da decolagem de um negócio. Em um ambiente cada vez mais instável e mutável, a consistência é a nossa âncora, para garantir que continuemos no lugar certo, mesmo com as distrações ao redor.

Confesso que nunca fui alguém muito consistente. Aliás, talvez o contrário: a intensidade e o imediatismo prevalecia em muitas das minhas atitudes.

Disciplina para aquilo que eu não queria, sempre foi difícil.

E eu desisti de várias coisas por isso.

A primeira delas que me vem à memória foi aos 6 anos: um certo dia eu decidi que não queria mais ir ao balé. Reclamei e reclamei. E no dia seguinte, não precisei mais ir.

Anos depois, eu me lembro de exclamar para minha mãe: Você devia ter me mantido no balé! Eu poderia ter agora uma ótima postura e linguagem corporal.

E ela retrucou: Não adiantava. Você não queria e ponto.

(E então a minha tentativa de colocar a responsabilidade no outro foi ladeira abaixo)

 

A Teoria dos Marshmallows

É o nome de um clássico estudo de Walter Mischel feito 50 anos atrás que explora uma correlação interessante entre autocontrole e sucesso.

Nesse estudo, crianças foram trazidas a uma sala.

Nela os adultos comunicam que sairão dali por alguns instantes. Antes disso, as crianças são informadas que se desejarem podem pegar UM doce naquele momento ou DOIS doces se elas os aguardarem voltar.

Os adultos deixam então a sala e os pesquisadores começam a observá-las por trás de um grande espelho.

Algumas imediatamente pegam o seu doce. Outras, aguardam os adultos voltarem para terem a recompensa.

O estudo continuou por décadas depois, uma vez que Walter continuou a observar as crianças, agora adultos, e os seus resultados.

E a conclusão foi de que aquelas que adiaram a recompensa por alguns minutos a mais, anos atrás, tiveram maior performance em testes, desde o SAT quando adolescentes ao índice de massa corporal BMI quando adultos. Ou seja, para Walter estava claro a relação entre disciplina e sucesso em seus objetivos.

“O autocontrole é crucial para a busca bem-sucedida de objetivos de longo prazo. É igualmente essencial para desenvolver o autocontrole e a empatia necessários para construir relacionamentos solidários e de apoio mútuo. Pode ajudar as pessoas a evitar ficarem presas cedo na vida, abandonando a escola, tornando-se imunes a consequências ou ficando presas em empregos que odeiam. ” – Walter Mischel

Não tenho a intenção de avaliar cientificamente a validade dos resultados, mas o que trago à tona é a importância do autocontrole (que leva à consistência de ações) para o sucesso.

Especialmente em um mundo com estímulos e distrações frequentes, onde somos “recompensados” constantemente com UM marshmellow ao abrir as notificações do celular ou ao responder aquele email. Ao invés de DOIS, após cumprir aquela tarefa que REALMENTE importa.

Com o tempo eu aprendi o poder da força de vontade e da disciplina para conquistar o que eu queria. Eu quis muito estudar em uma Universidade Federal. Eu quis muito falar francês e estudar fora. Eu quis muito ter uma carreira internacional. Eu quero muito atingir os meus objetivos atuais.

Confesso, não sou A MAIS disciplinada para MUITAS coisas. Mas quando eu quero muito (e isso está relacionado ao fato de eu ter uma VISÃO e um PORQUE muito claros), aí eu faço tudo.

 

O objetivo desse texto?

Eu quero compartilhar as minhas observações do que eu aprendi na prática até aqui:

 

1) Entenda o Seu Porque:

Se existe algo maior em jogo, que explica o porquê daquela tarefa rotineira, nós tendemos a nos comprometer mais, mesmo que em dias de baixa motivação.

Isso porque entendemos que ao procrastinar ou ao não executar o que está em mãos agora, significa estar mais distante do que acreditamos ser realmente importante para nossas vidas.

Não tem energia para o que se propôs a entregar hoje? Lembre-se do porquê está fazendo isso. Por que? No que essa tarefa irá te ajudar a ser melhor?

 

2) O Poder do Hábito:

Para que os altos e baixos trazidos pelo nosso estado emocional sejam menores, a melhor solução é ligar o automático. Ou seja, criar um hábito. Para isso, é preciso colocar na agenda como prioridade e, se possível, facilitar ao máximo para que ele aconteça, especialmente no início.

Quer começar a correr? Que tal preparar sua roupa um dia antes e deixar o seu tênis logo ali, ao lado da cama?

Quer começar a escrever? Por que não deixar na agenda a seguinte tarefa: abrir a folha em branco e dedicar 20 minutos a escrever qualquer coisa que vier em mente?

Faça isso todos os dias e verá o progresso com o tempo.

Será fácil? Pelo contrário. Você irá sofrer. Principalmente porque não verá os resultados imediatos e porque, em geral, não gostamos de estar em uma posição de iniciante. Já queremos ser perfeitos e bons em tudo. E quando ainda não somos, tendemos a desistir mais facilmente.

 

Leia também: Não Espere Por Inspiração, Crie um Processo Para Ela

 

3) Escolha Uma Batalha de Cada Vez:

Eu quero emagrecer, melhorar o inglês, ler todos os dias, escrever toda semana e ser mais organizado com as minhas finanças.

Eu também quero várias coisas. Mas se decidirmos que vamos cumprir todas essas promessas de uma só vez, a tendência é que o resultado seja o mesmo daquele das Resoluções de Fim de Ano: você começa animado, mas desiste no primeiro mês.

Isso porque todos esses novos projetos nos exigem sair da nossa zona de conforto atual. E permanecer fora da zona de conforto 24h por dia é extremamente improvável.

O segredo é o hábito (de novo ele). Ou seja, escolha UM novo projeto de cada vez e o transforme em um hábito. A partir daí, você pode passar para o próximo e fazer o mesmo. Assim, você dedicará toda a sua força de vontade para ser bem sucedido, uma tarefa de cada vez.

 

4) Foque no Processo e Não no Resultado:

A ansiedade do que o resultado irá nos proporcionar (ou não) pode nos tirar o foco do que é preciso ser feito agora.

E se eu fizer isso e nada acontecer? E se eu investir energia aqui e der esse resultado e não aquele?

Essa hesitação já é bastante para que uma tempestade seja criada em nossa mente e para que eu me questione: será mesmo que eu quero fazer isso? Melhor deixar pra outro dia.

 

5) Esteja Atento ao Ambiente ao seu Redor:

O ambiente em que você está ou as pessoas com as quais convive pode ditar o ritmo em que você vive.

Isso porque a vida das pessoas tende ser construída baseada na expectativa dos seus pares. Ou seja, se você está em um ambiente em que te exige menos, é provável que você naturalmente entregue/faça menos do que faria se a exigência fosse maior.

Da mesma forma, também nos ajustamos com relação às ambições de uma determinado grupo social e ao ritmo mais acelerado ou não de uma cidade.

Por isso, esteja atento ao que o ambiente te exige e faça a escolha: eu quero seguir esses padrões ou eu posso ir além?

 

6) Intensidade x Consistência

A intensidade pode fazer com que você chegue mais rápido, mas a consistência fará com que você chegue mais longe. E sem ter um burnout, provavelmente.

Tendemos a subestimar o quanto as pequenas tarefas diárias podem nos trazer de resultados. Em nossas mentes, para ser bem sucedido é tudo ou nada. É hoje ou nunca. É grande ou não é. E esse pensamento faz com que ou tenhamos que investir um grande período de tempo para esse novo projeto ou ele não acontecerá, pois nunca estaremos prontos.

Por isso, tente fazer consistentemente pequenas ações diárias que te levarão aonde quer chegar.

 

7) Prestação de Contas

Uma ajuda externa pode ser sempre bem vinda. Isso porque tendemos a nos comprometer com mais intenção e maior qualidade de entregas quando temos que mostrá-las para o outro.

Quem sabe contar com um grupo Mastermind pode ajudá-lo nessas entregas? Ou a ajuda de um mentor ou mesmo de um amigo que também está na mesma jornada? Ou quem uma assistente virtual pode cumprir bem essa tarefa de mantê-lo nos trilhos?

Sabe o que mais ajuda? Prometer em voz alta (ou nas redes sociais) o que você está propondo a cumprir. A ideia de ser incoerente em público vai te puxar para um novo limite para cumprir essa promessa, não importa o que aconteça.

 

8) Faça

Se você não está em um bom dia, faça mesmo assim. Se você está triste, faça. Se está feliz, faça. Se está cansado, faça. Se está sem tempo, faça. Se está inseguro, faça. Se está (coloque uma desculpa aqui), faça.

 

Pronto, esse é o meu segredo para escrever semanalmente, por exemplo.

Hoje eu estava ansiosa. Com o fuso de 2h a menos, preciso correr com algumas entregas. Mas mesmo assim, aqui estou. Eu fiz essa entrega pra vocês.

E ao ter consistência, eventualmente eu vou colher os resultados. Que vieram não por sorte, ou por uma ação aleatória. Vieram pela vontade de ser melhor, um passo de cada vez, consistemente.

“O sucesso não vem do que você faz ocasionalmente, vem do que você faz consistentemente” – M.Forleo

E então, você prefere UM marshmallow agora ou DOIS depois?

Qual o seu segredo para a consistência? Compartilhe aqui!

 

Quer bater um papo comigo sobre Personal Branding? Agende aqui.
Sobre Juliana Saldanha

Sou Estrategista em Personal Branding.
Tenho como missão te ajudar a posicionar-se no mercado e comunicar o seu valor de forma relevante e memorável.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Então… to tentando. É difícil, ainda mais com tantas informações… mas tenho tentado, talvez eu devesse começar a tentar com mais consistência, rs.

    1. É difícil mesmo, com tantas distrações! Mas se você souber do que ganhará sendo mais consistente, fica mais fácil!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Toda semana eu compartilho minhas melhores dicas e reflexões sobre branding pessoal e empreendedorismo. É um conteúdo legal mesmo! Assine aqui pra receber
100% privacidade.Sem Spam.
Sobre Juliana Saldanha
Olá! Eu sou a Juliana e Juliana Saldanhasou Estrategista em Personal Branding. Tenho como missão te ajudar a posicionar-se no mercado e comunicar o seu valor de forma relevante e memorável. Leia mais sobre mim.

Quer ser o número 1 na mente do seu público?